Saudades de casa

Ainda não escureceu, apesar de passar da meia noite. A lua quase cheia me convida para continuar acordada apreciando o seu brilho da janela do quarto.

Acabei de falar com o meu irmão, sobrinha e cunhada. Eles se preparam para a próxima festa “junina” da família. Mostraram os enfeites com alegria.

Vejo pela primeira vez o novo filhote do meu cachorro que se foi no mês passado, meu companheiro Billy. Quando eu voltar, Jack já não será mais um filhote. Terei que conquistá-lo.

A lua me convida de novo para admirar o seu brilho, parece que quer confortar o coração apertado de tanta saudade de casa, da família, dos amigos, das comemorações em conjunto.

Uma pausa. Enquanto foco na lua, começa a tocar Breathe (Respire) da coletânea do Pink Floyd. Ok, estou respirando. E ouvindo…

♫ Long you live and high you fly
And smiles you’ll give and tears you’ll cry
And all you touch and all you see
Is all your life will ever be ♫

♫ Por mais que você viva e voe alto
E sorrisos você dará e lágrimas você chorará
E tudo que você toca e tudo que você vê
É tudo que a sua vida sempre será ♫

Quem disse que ia ser fácil? São 113 dias longe de casa. Meu recorde.

Abaixo da lua, a bandeira da Suécia dança na melodia do vento sinalizando que estou a quase 11 mil km de casa.

Está tudo bem, Vanessa. Sorrisos você dará e lágrimas você chorará. Agora vá dormir.