A Carta da Terra, documento idealizado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1987 e ratificado em 2000 para defender os interesses sustentáveis, a paz e a justiça socioeconômica, apresenta a seguinte situação global:

“Os padrões dominantes de produção e consumo estão causando devastação ambiental, redução dos recursos e uma massiva extinção de espécies. Comunidades estão sendo arruinadas. Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos equitativamente e o fosso entre ricos e pobres está aumentando. A injustiça, a pobreza, a ignorância e os conflitos violentos têm aumentado e são causa de grande sofrimento. O crescimento sem precedentes da população humana tem sobrecarregado os sistemas ecológico e social. As bases da segurança global estão ameaçadas. Essas tendências são perigosas, mas não inevitáveis”.

O mesmo documento propõe que o homem assuma a sua responsabilidade, compreendendo que é um ator capaz de promover uma comunidade diferenciada através de um modo de vida sustentável, justamente porque é ser integrante da natureza.

Diante da urgente necessidade de formar população consciente, comprometida, participativa e preocupada com a problemática socioambiental, assumi parte dessa responsabilidade e pretendo, ao final da jornada de cinco anos pelo mundo, cocriar um espaço gratuito de aprendizado na minha cidade natal: Rio de Janeiro.

Para isto, tenho visitado, cooperado e aprendido com diversos projetos sustentáveis pelos cinco continentes:

PORTUGAL

Ecoaldeia Janas – Sintra
Casa da Floresta – Sintra

ESPANHA

Ecolectivo – Vigo

SUÉCIA

Ängsbacka – Molkom

DINAMARCA

Friland – Rønde
Andelssamfundet – Hjortshøj
Hallingelille – Ringsted

CROÁCIA

Gea Viva – Milna
Emerald Gardens – Donji Oštrc

HUNGRIA

Biofalu – Máriahalom

PARTICIPAÇÕES EM EVENTOS:

Contribuir para a construção de um novo modelo de civilização e incorporar novos valores éticos, solidários e participativos através da Educação é um dos grandes desafios deste projeto que, ao seu final, pretende ter produzido o máximo de transformações significativas em seus cooperadores e participantes.

“Nossas ações, por menores que pareçam, são capazes de mudar o mundo. A cada momento, fazemos escolhas sobre nossos modos de vida. Se nos conectarmos com o planeta e uns com os outros, seremos uma ponte para um futuro sustentável. Cada um de nós faz o seu Amanhã. E juntos fazemos os nossos – os Amanhãs que queremos.” (Museu do Amanhã, Rio de Janeiro/Brasil)